sábado, 19 de fevereiro de 2011

Hoje...

Mais uma vez, passei o dia inteiro contigo na cabeça. Na cabeça, não! No coração. Sim. Por isso, sempre que eu quero te ver eu fecho os olhos. Percebi que o melhor lugar para te encontrar é dentro de mim. Apesar de tu não ficares sequer um segundo ao meu lado, tu estás 24h por dia em meu coração.
Eu queria que meus pensamentos chegassem aos teus. Eu queria que tu soubesses o quanto anelo tua presença. Eu queria te dizer que há um segredo sincero dentro de mim que quero compartilhar contigo. Há palavras não ditas, beijos não dados, abraços que ainda não existiram, um futuro que não passa de um sonho. Mas temo que esse sonho não passe de ilusão. Não quero que meus anseios se transformem em poeira.
Só isso...
Não quero escrever hoje. Hoje eu só quero você...

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

O Carnaval e a Bíblia

“Os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito. Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz". (Rm 8:5-8;12-14).








Estamos chegando no mês de março e com ele vem aí o Carnaval, essa festa que arrebata multidões para as ruas, promove desfiles suntuosos, comilança, excessos em geral e também muita violência, liberalidade sexual etc. Ao estudarmos a origem do Carnaval, vemos que ele foi uma festa instituída para que as pessoas pudessem se esbaldar com comidas e festa antes que chegasse o momento de consagração e jejum que precede a Páscoa.
O Brasil é tradicionalmente conhecido como o país do carnaval. Normalmente, esta festa da carne, esta celebração pagã acontece no mês de fevereiro ou março conforme o calendário de cada ano. Em todas as cidades e principalmente nas capitais, milhares de pessoas se preparam para o tão sonhado acontecimento. Em algumas regiões semanas inteiras são dedicados aos foliões que se habilitam a percorrerem as principais avenidas atrás de um carro de som extravasando suas emoções e suas paixões carnais. o carnaval de hoje, são poucas as diferenças das festas que o originaram, continuamos vendo imoralidade, música lasciva, promiscuidade sexual e bebedeiras. Visitando o site da Bahia, lá encontrei a seguinte frase: "Pule o carnaval Carnal, lúdico, dilacerador, espiritualizado, físico”.
Nem todo tipo de divertimento é aprovado na Bíblia. O apóstolo Paulo declara que as festanças, ou festejos ruidosos e turbulentos, são uma das “obras da carne” e que os que as praticam “não herdarão o reino de Deus”. (Gálatas 5:19-21) Paulo admoestou os cristãos a ‘andar decentemente, não em festanças’. (Romanos 13:13). Pesquisei para saber mas sobre essa festa diabólica e encontrei que durante as festividades gregas em honra a Dionísio, segundo Durant, multidões de foliões “bebiam desenfreadamente, e consideravam desprovidos de juízo aqueles que não o perdiam o juízo. Marchavam em tumultuosa procissão, e enquanto bebiam e dançavam, entregavam-se a um frenesi no qual todos os preconceitos eram abandonados”.
Algo bem parecido ocorria nas festividades romanas em honra a Baco (chamadas de bacanálias), em que as principais diversões eram bebedeiras, canções e música lascivas, e eram o cenário de “ações muito depravadas”. Não precisamos ir muito longe na Palavra de Deus para saber que o carnaval é uma festa contrária à Sua vontade. Esta festa onde tudo é liberado não diz respeito à vontade de um Deus que ama seus servos e diz que eles são templo do seu Espírito (1Cor 3.16).Temos como principal ponto de maior impacto durante a comemoração desta festa ímpia o nosso País. Para ser mais exato o Rio e também atualmente a Bahia. Além do mais se trata de uma festa onde muitas pessoas adulteram, se embriagam, participam de orgias, fornicações, drogas etc.
Pode imaginar Jesus Cristo ou seus apóstolos participando nas festas que deram origem ao carnaval, tomando parte nas bebedeiras, na imoralidade e nas danças desenfreadas de tais festas antigas? Se não, como pode uma pessoa ser verdadeiro seguidor de Cristo e participar nas modernas festas carnavalescas? Considere a admoestação da Bíblia: Não vos ponhais em jugo desigual com incrédulos. Pois, que associação tem a justiça com o que é contra a lei? Ou que parceria tem a luz com a escuridão? Além disso, que harmonia há entre Cristo e Belial? Ou que quinhão tem o fiel com o incrédulo? E que acordo tem o templo de Deus com os ídolos? Portanto, saí do meio deles e separai-vos’, diz o SENHOR, ‘e cessai de tocar em coisa impura’; ‘e eu vos acolherei. 2 Cor. 6:14-17. Há quem justifique como estratégia evangelística a participação efetiva na festa do carnaval, desfilando com carros alegóricos e blocos evangélicos, o que não deixa de ser uma tremenda associação com a profanação.
Pergunta-se, então: será que deveríamos frequentar boates gays, sessões espíritas e casas de massagem, a fim de conhecer melhor a ação do diabo e investir contra elas? Ou deveríamos traçar estratégias melhores de evangelismo? E não estarmos em cima de caminhões ou em blocos carnavalescos, para falarmos de cristo. Como cristãos, não podemos concordar e muito menos participar de tal comemoração, que vai contra os princípios claros da Palavra de Deus.


Em Cristo,
Ednalva Morais
(integrante da Igreja Batista e esposa do pastor Ednaldo Morais de Lima).

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Lançamento de livro foi um sucesso

O lançamento aconteceu em forma de recital, reunindo os principais poetas populares caruaruenses no Museu do Cordel, localizado no Parque 18 de Maio. O livro ‘Depois que a chuva passar’ é de autoria do poeta Jénerson Alves, que também é repórter do Extra, colaborador do blog Presentia e do Programa Espaço Livre (107 FM)


Uma grande equipe poética participou do evento



Artistas de Caruaru
A manhã deste sábado (5) foi separada para a literatura popular. Isso porque o poeta e jornalista Jénerson Alves, lançou o livro ‘Depois que a chuva passar’, que reúne os principais poemas líricos do artista. O lançamento da obra literária foi em forma de recital, no Museu do Cordel, situado no Parque 18 de Maio. A festa começou pela manhã, a partir das 9h. Artistas como Raudênio Lima, Nerisvaldo Alves, Paulo Pereira, Espingarda do Cordel, Dorge Tabosa e Fagner Lima participaram do evento. Além das declamações, o músico Carlos Alves e os violeiros Luciano Leonel e Antônio Marcos abrilhantaram a festa, que foi aberta ao público. Entre os presentes, destacaram-se o violeiro Fenelon Dantas (que mora em São Paulo), a escritora Lourdes Silva, os jornalistas Sandra Silva e Jailson Lima, o artista plástico Chico Matuto, bem como o produtor Paulo Nailson.
Artistas e parte da plateia

O livro ‘Depois que a chuva passar’ é formado por poemas cuja predominância temática está nas angústias e inquietações que fazem parte da existência humana. “Decidi colocar minhas poesias mais viscerais, inclusive algumas escritas há aproximadamente dez anos”, salienta Jénerson Alves. Ele também destaca que tomou a frente de todas as etapas de produção da obra, desde a seleção das poesias até a diagramação do livro e concepção da capa, acentuando o teor autoral da peça. No total, são 13 poesias, distribuídas em 32 páginas. Os poemas são escritos em estilos que vão dos motes e martelos agalopados (gêneros que pertencem à cantoria de viola) chegando até aos sonetos decassilábicos.

Publicado de forma independente, o livro já tem sido enxergado com bons olhos pela classe artística. O presidente da Academia Caruaruense de Literatura de Cordel (ACLC), Nelson Lima, aplaude o talento do jovem escritor. “Sem fugir das características principais da poesia regional, o autor exprime sentimentos universais, com um lirismo envolvente e um vocabulário bem particular”, ressalta Nelson Lima. O diretor do Museu do Cordel, Olegário Filho, também indica a leitura da obra como fundamental. “Uma excelente ferramenta de divulgação da poesia que provoca reflexão”, define Olegário.



Biografia
Jénerson Alves nasceu no dia 20 de junho de 1987, em Palmares-PE. Porém, reside em Caruaru desde 1988. Aprendeu a ler sozinho, aos 4 anos de idade. Seus primeiros versos foram escritos aos 13, participando de festivais escolares. É autor de mais de uma dezena de cordéis e gravou dois CDs de poemas: ‘Sementes de Amor’ e ‘Do clássico ao matuto’, o último em parceria com o poeta Nerisvaldo Alves.





Memória Fotográfica



A TV Asa Branca realizou a cobertura do evento


O poeta e ator Nerisvaldo Alves foi o 'mestre de cerimonial'
O artista Carlos Alves interpretou várias canções
Jornalistas: Jénerson, Renata Torres, Sandra Silva e Jailson Lima
O poeta Jailtom Pereira recitou poemas de sua autoria
Raudênio Lima, Lourdes Silva, Jénerson Alves, Olegário Filho
Olegário Filho e Paulo Pereira fazendo embolada
Jailtom Pereira, Luciano Leonel, Jénerson, Fenelon Dantas, Espingarda do Cordel e Raudênio Lima
O artista plástico Chico Matuto prestigiou o lançamento
O presidente da Academia de Cordel, Nelson Lima

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Divulgação do lançamento



A divulgação do lançamento de ‘Depois que a chuva passar’ está a todo vapor. Diariamente, o declamador Raudênio Lima anuncia o evento, no programa ‘Violas em Liberdade’, a partir das 17h30, na Rádio Liberdade (910 AM). Ontem (2), concedi uma entrevista ao repórter Edivaldo Magalhães, da mesma emissora (foto). Hoje, estive no programa ‘Salada Mista’, da Rádio Provisão (107 FM), apresentado pelo experiente jornalista Paulo César. Além disso, a notícia do lançamento está entre as mais acessadas do blog Presentia (http://presentiaonline.blogspot.com/2011/01/lancamento-literario-depois-que-chuva.html). No sábado (5), deverá sair uma megamatéria no Jornal Extra de Pernambuco. Mando aqui meu abraço a todos os colegas da imprensa.

Crédito da foto: Diogenes Barbosa 

Postagens relacionadas:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...