domingo, 24 de março de 2013

Microconto despretensioso


Tímido, e com a autoestima baixa, ele nunca entendeu as cantadas dela. Afinal, ela é tão bela, o que aqueles olhos da cor de ébano poderiam ver em um rapaz como ele? Portanto, decidiu que iria tão somente admirá-la. E, por ter se aplicado tanto a esse propósito, demorou a perceber que a amava. Só veio a dar-se conta disso muito tarde, quando ela assumiu relacionamento com outro moço, o qual talvez não compreendesse a real magnitude que ela possui. Teimosa, ela não cogitava mais dar outra chance a ele. O outro moço já havia conseguido espaço no coração dela. Casaram-se. Mesmo assim, de vez em quando ela se perguntava como seria se tivesse optado pelo rapaz tímido que sempre pensava nela, ao invés do moço forte que estava ao seu lado. Às vezes, ela chega a pensar que a vida seria mais bela, mais poética, mais doce. E ele, que optou pela solidão a ter de viver com alguém a não ser ela, preferiu mergulhar no mundo dos sonhos, por saber que ela estaria lá, sorrindo, para ele...

Um comentário:

Anônimo disse...

de vez em quando ela se perguntava como seria se tivesse optado pelo rapaz tímido que sempre pensava nela, ao invés do moço forte que estava ao seu lado. Às vezes, ela chega a pensar que a vida seria mais bela, mais poética, mais doce.

Essa frase, me resume!

Postagens relacionadas:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...