segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Não precisa decote ou minissaia


Foto extraída de www.assimsefaz.com.br


Não precisa a mulher se preocupar
Com a roupa mais cara da boutique,
Se a vizinha é mais rica ou é mais chique,
Ou se à moda ela deve se adequar.
Mais que isso, é melhor ela buscar
Atingir a maior sabedoria,
Que a virtude só cresce a cada dia,
E a beleza? O tempo faz que caia!
Não precisa decote ou minissaia,

Se ela tem elegância e simpatia.

Quem só julga o valor pela embalagem
Do miolo não soma a condição.
Não conhece o que há no coração
Quem se pauta somente na imagem.
Quem se ocupa com brilho e maquiagem
Comumente possui alma vazia!
Eu prefiro a mulher que alumia
Com o brilho do cerne que se espraia.
Não precisa decote ou minissaia,

Se ela tem elegância e simpatia.

Não precisa ficar louca por ‘macho’,
Mudar voz para ver se pinta um clima,
Dançar funk pra saia ir para cima
Sem notar que a moral vai para baixo.
Se ela tem tanta luz que eu até acho
Que é o Sol quem reflete, ela irradia,
E sua voz é sonora melodia
Qual angélico coral que D-us ensaia
Não precisa decote ou minissaia
Se ela tem elegância e simpatia.
  
Não precisa postar o seu retrato,
Pra causar os marmanjos pela net,
Mendigar alguns ‘likes’ de pivete,
Nem atar sua vida com boato,
Se ela quer um sujeito mais pacato,
Mas que tenha vigor e energia,
Que não queira tirar fotografia
Mas, fiel, nunca vai fugir da raia
Não precisa decote ou minissaia
Se ela tem elegância e simpatia.

Não precisa ter corpo de sereia
Como a mídia publica, opina e manda,
Ser igual a mulher que dança em banda,
A atriz, ou modelo que passeia,
Se ela tem sangue humano em sua veia,
Ser sereia não quer, que é fantasia.
Tirar onda em meio a maresia
Nunca foi e nem é a sua praia,
Não precisa decote ou minissaia
Se ela tem elegância e simpatia.

A mulher, a meu ver, pra ser mais bela,
Não se rende a vaidade nem invídia,
Não credita seus créditos pela mídia
Mas possui perfil próprio e isso zela.
Ao invés de perder tempo em novela,
Lê as obras de Kafka, Llosa e Mia,
Pensa em Cristo, o Rebento de Maria,
Sem ouvir Valdomiro ou Malafaia
Não precisa decote ou minissaia
Se ela tem elegância e simpatia.


Jénerson Alves, 28.10.2013

Obs.: Mote baseado em frase de Andreza Ferreira.
Poema dedicado a todas as mulheres que têm conteúdo.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Um fora em alto estilo

Eu antes te imaginava
Comigo do início ao fim,
Hoje eu já não penso mais,
Não és flor no meu jardim.
Pois é. Não te amo mais
E estou feliz assim.

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Tá querendo o quê?


Cantando Ziriguidum,
Ouvindo Tcheretchetchê,
Pre-pa-ra, faz quadradinho,
(Mas não reflete nem lê).
Quando a coisa sai errada,
Gatinha assanhada,
Você tá querendo o quê?


terça-feira, 15 de outubro de 2013

Quadrinhas soltas no ar...

Deixa eu plantar primavera No jardim do coração? Pra ter uma nova era Dentro da tua emoção. Deixa eu ser o sol nascente No teu escuro horizonte? Ou uma estrela cadente Rasgando o cume do monte? Deixa eu te fazer sonhar No meu colo ou nos meus braços? Ou te fazer desmaiar No êxtase dos meus abraços? Deixa eu te fazer carinho Seja de dia ou de noite, E fazer da cama ninho Pra passarmos o pernoite? Deixa eu te cantar meu canto Só pra tentar te encantar? Deixa eu ser teu, que garanto Que nunca vou te deixar...

Postagens relacionadas:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...